CSNU: delegados finalmente chegando a acordos

Por: Laura Siccherino

Em conjunto, delegados elaboram projetos

  Na quinta-feira (04/07), foi apresentado em conjunto pelas delegações da Costa do Marfim e da África do Sul, um projeto que visa a fiscalização das divisões entre as milícias Séléka e Anti-Balaka, contando por exemplo com a revista individual de cidadãos e veículos que passem pelas áreas como uma das iniciativas para controle do conflito da República Centro-Africana (RCA).

  Ainda nesse dia, foi assinado um acordo multilateral que conta com auxílio das forças armadas da República Federal da Alemanha (RFA) no envio de militares para dar suporte à região conflitante e para desarmar civis de milícias, além de trabalhar com o Reino Unido para instalar indústrias, como a bélica, para promover desenvolvimento econômico e circulação de capital no país.

  Entretanto, na quarta-feira (3), uma das delegadas da França propôs uma segregação religiosa como uma das medidas a curto prazo para o saneamento da guerra civil na RCA, considerando que uma das principais raízes do conflito é o contato entre religiões diferentes.

A delegação alemã, contando com testemunha da estadunidense, elaborou uma nota de repúdio exigindo a retratação da delegada, com base nos argumentos de que uma segregação feriria os Direitos Humanos do povo africano, e a curto prazo propõe um mais forte armamento do exército local. O assunto ainda não voltou ao foco de discussão.