Eficácia do CDH é questionada

Por: Rachel Delduque

Após uma notícia ser publicada alegando que o comitê estava sendo improdutivo, os delegados presentes começaram a produzir mais documentos de trabalho e voltaram a discutir

Neste dia (3), as discussões sobre os campos de reeducação política continuaram no CDH. O debate começou lento e vago, até que a diretoria do comitê apresentou uma notícia do jornal “El País”, que dizia não estar havendo progresso nas discussões. As delegações assumiram o fato e passaram a produzir mais documentos de trabalho, fazendo com que o debate se tornasse mais dinâmico. 

O texto apresentado acusava os países presentes de não estarem chegando a lugar nenhum em seu comitê, visto que, ao invés de seguirem o tema pelo qual foram chamados a debater, as delegações apenas trocavam farpas. Após a leitura da notícia, os delegados se engajaram em produzir documentos que pudessem levar a uma solução para o conflito na província de Xinjiang. 

Entretanto, após alguns documentos serem apresentados, as delegações voltaram a trocar farpas, como a China, Suíça, a ONG Anistia Internacional e outros. A discussão chegou a se tornar agressiva, inclusive levando a indignação da delegada argentina. A delegação americana não se pronunciou.