“Por favor deem voz ao grupo africano”

Por: Oscar Nucci

Falou a delegada do Egito e líder temporária do grupo africano durante uma situação formada na 4ª sessão do SPECPOL.

Durante a primeira sessão do dia, ocorreu uma discussão envolvendo os líderes de cada um dos quatro grupos presentes na SPECPOL (Americano, Euro-asiático, Europeu e africano) que começou depois de um parágrafo do documento de resolução feito pelo grupo americano e apresentado pelo delegado dos EUA. O parágrafo que servia para apresentar um dos objetivos do documento final continha a seguinte frase: “apontando que a situação sul-sudanesa é uma ameaça à comunidade internacional”.

 A agressiva afirmação apresentada para o comitê gerou reações negativas dos outros líderes, que pediram imediatamente a alteração do parágrafo. Os representantes dos grupos europeu e euro-asiático concordaram com a alteração da palavra “situação” para “guerra civil”, porém a porta-voz do grupo africano questionou o motivo do uso da palavra “ameaça”.

O questionamento foi rapidamente respondido pelo delgado dos EUA: “os motivos da guerra civil não são unânimes internacionalmente”. Vendo a calorosa discussão tomar drásticas proporções a delegada do Reino Unido, que estava liderando o bloco europeu, sugeriu o adiamento da solução para a questão levantada pela delegada do Egito.

O comitê acatou a sugestão e a discussão do parágrafo foi postergada. Após um tempo, algumas mudanças de liderança ocorreram e a delegada da África do Sul assumiu a liderança do grupo africano. No momento da revisão do parágrafo, surpreendentemente o grupo africano aceitou facilmente o que estava anteriormente escrito, sem retomar a discussão que haviam criado.