Quem são os reais responsáveis pelos massacres sofridos pelos curdos?

Por: Luana Rissi

Massacres e terrorismos entram em uma das deliberações do comitê.

Nesta quarta-feira (03), segundo dia de discussões, foram tomadas algumas decisões a respeito das resoluções argumentadas. Os debates realizados no comitê transcorreu de moda a obter um consenso entre as delegações, julgando certo algumas providências como, a soberania nacional das nações, o aumento da visibilidade dos curdos em partidos e organizações políticas, segurança do respeito e a dignidade da vida, distribuição igualitária dos lucros com base em razões étnicas, entre outros. 

O comitê, por sua vez, divulgou opiniões acerca do grupo PKK( partido dos trabalhadores do Curdistão), onde muitos países, principalmente da União Europeia, denomina-o como um grupo terrorista, mesmo com a própria ONU não os intitulando dessa forma. Entretanto, nenhum delegado atribui a imagem de terrorista aos curdos.

Ao decorrer da discussão, China e Azerbaijão discutem sobre a culpa dos massacres sofridos pelos curdos, “ se a culpa é de todos, a culpa não é de ninguém”. China, como representante a favor da criação do Curdistão, diz que é importante a citação e reconhecimento por parte dos países com relatos de massacres contra os curdos.