TPI tenta responder a pergunta: afinal, o comandante Bemba é inocente ou culpado?

Por: Cristina Sol Lee Noh

É aberto o julgamento do Tribunal Penal Internacional (TPI) que tenta inocentar Bemba

Jean-Pierre Bemba Gombo, condenado no julgamento em primeira instância, fez uma apelação por meio dos seus advogados nessa terça (02), na primeira sessão de seu julgamento no TPI. Seus principais argumentos são que Bemba não teria controle direto sobre os soldados que cometeram os crimes, já que não era responsável por esse nível de comando, e que não há como provar que o Movimento de Libertação do Congo (MLC) foi realmente o culpado pelos crimes, pois seus uniformes eram parecidos e o dialeto falado também era igual ao de outros grupos.

Os representantes das vítimas alegam que não importa de quem seja a culpa, a indenização deve ser feita. Por fim, os representantes da Procuradoria do Tribunal rebatem a tentativa da defesa de separar o comando das forças, não excluindo a culpa de Bemba, alegando que mesmo que não estivesse presente, tinha o poder de delegar alguém para comandar as operações do MLC, e que esse delegado é então responsabilidade do réu.