Será que todas as informações sobre o COVID-19 chegam igualmente à toda a população?

Por: SPMUN

Para a uma parte das pessoas que buscam informações sobre a pandemia, medidas de isolamento social podem ser adotadas sem grandes consequências. Mas talvez para a maioria de trabalhadores informais que dependem de cada dia para obter o sustento familiar, uma recomendação de isolamento de 14 dias não seja factível. Para as mais de 34 milhões de pessoas desassistidas por rede de água (ABRINQ-2019), práticas de higiene e desinfecção não sejam tão simples. Para a crescente população em situação de rua ou pessoas em situação de moradia precária, manter isolamento doméstico adequado não será possível.Isso traz à tona um importante debate: refletir sobre como os processos saúde-doença são socialmente determinados. Isto é, as diferentes posições sociais se associam a marcadores que vão levar a diferentes possibilidades de participação ou exclusão e, portanto, a menores ou maiores possibilidades para o desenvolvimento e manutenção da saúde. Ou seja, existem contextos sociais que atuam como limitantes, que dificultam ou impedem de atingir esse bem estar, impelindo as pessoas em direção a um desfecho provavelmente muito diferente daquele que será obtido por um indivíduo em outro extrato socioeconômico. Isso é simbólico de se perceber quando lembramos que o vírus teve como uma das primeiras mortes no Brasil uma mulher carioca de 63 anos hipertensa e diabética. Empregada doméstica, contraiu a infecção após contato com sua patroa que retornou da Itália. Exemplo entre os brasileiros de pessoas que cotidianamente estão expostas a contextos vulnerabilizantes de falta de acesso a tratamentos de saúde para suas comorbidades em um sistema de saúde público sucateado pelas políticas de Estado, que adoecem pelas péssimas condições de trabalho e, nem mesmo diante de uma pandemia mundial, conseguem dispensa de suas atividades laborais.

Recomendação de leitura: Guia de Combate ao COVID nas Favelas, elaborado pelo Grupo de Trabalho de Saúde da População Negra da Sociedade Brasileira de Medicina da Família e Comunidade https://www.sbmfc.org.br/grupo-de-trabalho-de-saude-da-populacao-negra/.

 Artigo “Do Einstein para o SUS: a rota letal da covid-19” – Epidemia se espalha para a periferia de São Paulo justamente quando paulistanos começam a abandonar isolamento social. https://piaui.folha.uol.com.br/do-einstein-para-o-sus-rota-letal-da-covid-19/?doing_wp_cron=1586545569.6436278820037841796875

Photo by Macau Photo Agency on Unsplash

Texto por Gabriel Munhoz e Mariana Teramoto